Menu

quinta-feira, 24 de março de 2016

Seguro-viagem: pra quê?

Viajar é uma das melhores coisas do mundo, mas é muito importante viajarmos com segurança e com atenção para questões de saúde, principalmente quando viajamos com crianças e idosos.

Uma necessidade básica é fazer um bom seguro-viagem para destinos internacionais.
Muita gente considera esse um dinheiro desperdiçado porque se não usar (e a gente torce para isso), não tem como recuperar. Mas, pense um pouco na seguinte situação... Imagine-se nos EUA ou na Hungria ou na Índia andando feliz pelas calçadas quando, de repente, você tropeça e torce o tornozelo... Você terá que ir para um hospital, fazer exames, enfaixar, tomar medicação adequada e, em último caso, uma cirurgia... Uma dor de cabeça enorme não é?

Se você tiver um seguro saúde, todas essas despesas estarão cobertas, mas, se você não tiver o seguro tudo isso terá que sair do seu bolsinho de viajante! E não pense que sai barato... Saúde fora do país é muito cara!

Muitos países exigem que você tenha um seguro-viagem para permitir sua estadia.

Então, antes de ficar com dor na consciência por pagar o seguro, pense que ele pode te livrar de uma grande enrascada!

Como escolher o seguro-viagem

Há inúmeras corretoras de seguro que vendem seguros-viagem para todos os tipos de necessidades e por preços bastante diversos. Antes de optar por esse ou aquele seguro, veja algumas dicas que podem ajudar na decisão:

a) verifique suas necessidades e qual a cobertura que mais se adequa ao seu tipo de viagem:

            - eu vou passar uma semana em Paris ou três meses estudando na Austrália?

            - essa viagem é puro relax ou eu vou praticar esportes radicais, esquiar, mergulhar?

            - eu tenho alguma doença crônica que mereça atenção e cobertura especial?

            - o país que eu vou visitar precisa de uma cobertura muito elevada ou uma básica será suficiente? Dependendo do país, você pode precisar de uma cobertura maior, por exemplo, nos EUA qualquer intervenção médica pode custar muito caro.

            - será que eu preciso de uma cobertura odontológica ou só médica será suficiente?

b) verifique também as coberturas secundárias que os planos oferecem, pois coberturas para cancelamento de viagem, perda de bagagem, apoio jurídico entre outras podem ser muito vantajosas;

c) a maioria dos países europeus faz parte do Tratado de Schengen que, além de exigir um seguro-viagem no valor mínimo de 30 mil euros, deve seguir alguns critérios especificados no tratado; as seguradoras podem esclarecer sobre isso;

d) pesquise preços;

e) não se esqueça de verificar se seus cartões de crédito não dão direito a seguros-viagem, e veja se a cobertura é adequada;

f) converse com seu corretor ou com sua agência de viagem de confiança e dê detalhes que ache importante. Antes de fechar o contrato, tire todas as dúvidas.

Com um bom seguro contratado, você terá férias muito mais tranquilas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário