Menu

terça-feira, 27 de junho de 2017

Dicas do Porto: Caves de vinho do porto e Cais da Ribeira



Dicas do Porto: Caves de vinho do porto e Cais da Ribeira

Não se pode pensar na cidade do Porto sem pensar em Vinho do Porto! Mas, as principais caves de vinho do porto não ficam no Porto, mas em Vila Nova de Gaia, cidade vizinha, do outro lado do rio.



Para chegar lá, pegue o metrô para a Estação São Bento e faça uma baldeação para pegar o metrô para Vila Nova de Gaia, município vizinho ao Porto onde ficam as caves de vinho do porto; descemos na Estação Jardim do Morro, que fica logo após a Ponte metálica Luís I. Essa estação fica literalmente na rua, você desce e já está no asfalto, tome cuidado com crianças.





A primeira coisa que fizemos foi atravessar a rua e subir pela Rampa do Infante Santo, até o Largo de Aviz, até um mirante de onde é possível ver toda a área ribeirinha de Vila Nova de Gaia e do Porto, uma vista que vale a pena.






Para ir até as caves, você pode andar ou pegar o teleférico (6 euros). Uma vez na parte baixa, você pode escolher uma das inúmeras caves a qual visitar. 






A visitação nas caves gira em torno de 10 a 20 euros, dependendo do que está incluído e todas elas param na hora do almoço, entre meio dia e 14:30, mais ou menos, então fique de olho no horário. Caminhar por esta área é uma delícia, tem lojinhas de artesanato, cafés e um visual lindo.




O artesanato em cortiça é lindo e você vai encontrar de tudo feito em cortiça.




Para voltar para a cidade do Porto, mais precisamente ao Cais da Ribeira, é preciso atravessar a ponte metálica.








O Cais da Ribeira é a área mais tradicional do Porto, próxima ao centro histórico, cheia de restaurantes e quiosques para passeios de barco.

Uma dica: Se a grana estiver curta, não almoce no Cais da Ribeira, suba até o centro histórico e os preços diminuem bastante e a qualidade continua muito boa.




Almoçamos por ali, comemos peixe com batatas ao murro, muito bom. Tome cuidado com as gaivotas, elas adoram voar sobre os pratos e tentar pegar algum petisco!






Fizemos um passeio de barco chamado de 7 pontes, onde durante 50 minutos, damos uma volta pelas 7 pontos que cruzam o rio Douro entre as cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia e foi muito legal; é um passeio mais barato, pra quem não tem tantos euros assim para o passeio de um dia inteiro que sobe o rio até a cidade de Peso da Régua. Pagamos 15 euros por esse passeio.






Saindo do barco, subimos até o centro histórico, onde apenas “batemos perna”, tomamos um café com pastel de nata e olhamos umas lojinhas, pois já era tarde e não daria tempo para visitar mais nada.


segunda-feira, 12 de junho de 2017

Visita à Fábrica de Chocolates Garoto


Quem nunca assistiu a “Fantástica fábrica de chocolates” e ficou imaginando os oompa-loompas navegando em rios de chocolate? Pois é, quando pensamos em uma fábrica de chocolate, logo vem em mente essas memórias não é? O legal é que tem fábricas de chocolate que fazem uma visitação básica por suas instalações!

Em Vila Velha (Espírito Santo), fica a Fábrica de Chocolates Garoto. Essa planta industrial, segundo informações do site, é uma das 10 maiores do mundo e desde meados da década passada pertente à Nestlé, que manteve o nome tradicional.


Fonte: Google Earth - Street View
Para fazer o Choco-tour guiado, você precisa fazer uma reserva no site 
https://garoto.com.br/visite_a_fabrica, onde você vai escolher o dia e horário da visitação. É possível fazer a reserva na hora, mas você só vai visitar se sobrar vaga, pois a prioridade é para quem reservou on line; num dia comum, vá lá, mas num feriado, melhor não arriscar.


No dia da visitação, chegue com meia hora de antecedência, porque o atendimento é meio bagunçado. A área de recepção de visitantes é extremamente pequena, uma portinha que leva a uma salinha onde dois atendentes confusos vão verificar sua reserva (precisa do RG de todos os visitantes) e fazer a cobrança de R$ 18,00 por pessoa, aqui você vai receber os ingressos, um vale desconto de 5% (noooosssaaa) não cumulativo para compras na loja da fábrica e o crachá de acesso. 

Aquela porta de vidro, é a entrada para a recepção dos visitantes...
 No dia que eu fui, véspera do feriado de 15 de novembro, além de uma chuva que não dava trégua, estava muito cheio; muita gente foi até lá sem a reserva no site e teve que esperar por uma sobra de vagas, algumas dessas pessoas não concordavam com isso, os atendentes tentavam contornar a situação, mas pareciam surpresos pela quantidade de pessoas (acho que deveriam estar preparados, afinal era um feriado prolongado né?), mas, passado essa etapa, o restante do tour transcorreu sem problemas.



Esse guarda volumes serve à loja da fábrica, esqueça ele por enquanto.




No horário da visita, um guia irá te chamar por microfone e dar alguns avisos de segurança. 













Você visitará uma fábrica em atividade, então algumas normas de segurança devem ser seguidas a risca e eles deixam isso bem claro no site:

- só fará a visita se estiver vestido com calças compridas sem rasgos (aquelas moderninhas não podem), camisas ou camisetas com mangas e tênis fechados (nada de sandálias ou rasteirinhas, ok?);

- todos os adornos, como brincos, alianças, anéis, relógios deverão ser guardados;

Ao entrarmos na fábrica, fomos direcionados para uma sala com armários onde guardamos bolsas, celulares e tudo o mais que esteja nos bolsos. Em seguida, noutra sala, recebemos mais uma vez as normas de segurança e também as vestimentas de proteção: um velcro para usarmos nas barras da calça, uma capa e redinha para os cabelos; os rapazes com barbas recebem também um protetor para o rosto. Caso você tenha ido de sandália poderá alugar uma bota de segurança para a visita. Recebemos também um fone de ouvido para proteção e para ouvirmos a guia, pois o barulho é muito elevado na linha de produção.






Devidamente paramentados, tiramos uma foto, que pode ser baixada pela fan page da Garoto. Não é permitido tirar fotos nas áreas internas da fábrica, todos os equipamentos ficam nos armários.








Após lavarmos as mãos, começa então a visita pela fábrica, na verdade por uma pequena parte da fábrica que foi adaptada para visitação pública. Visitamos a área de embalagem dos bombons Opera e outro quadradinho que não me lembro do nome, do bombom serenata de amor e terminamos na área de empacotamento da caixa de bombons amarela, tradicional da Garoto. Lá vimos aquele monte de bombons sendo levados por esteiras rolantes e depositados nas caixinhas; apesar do barulho é bonito de ver e uma tentação todo aquele chocolate passando pela sua frente!

Ao final da visita, para a alegria de todos, fomos para a sala de degustação onde por 5 minutos, pode-se degustar quantos bombons quiser ou aguentar. Como brinde, recebemos uma caixinha para pegarmos 6 bombons de nossa preferência.



Bem, eu achei que a visita seria mais completa, mais longa, que veríamos a produção das barras, “rios de chocolate”, mas não é assim, passamos principalmente por áreas de embalagens e vimos tudo a certa distância (claro, afinal é uma fábrica em funcionamento, não um cenário montado para turistas).

Nossa guia, a Jéssica foi muito legal, animada, bem falante e atenciosa, o que tornou a visita mais agradável.

Na saída, passe pela loja da fábrica e use seus grandiosos 5% de desconto. Mas se conseguir dá uma pesquisadinha antes, pois os preços dos mesmos chocolates nas Lojas Americanas eram mais baratos do que na loja da fábrica.

Imaginar todo aquele chocolate faz a imaginação voar e mesmo não vendo os oompa-loompas de perto (acho que estavam escondidinhos hehehe) visitar uma fábrica de chocolates é a realização de um sonho de criança.

sábado, 3 de junho de 2017

Cartagena além das muralhas: As ilhas


Uma das grandes atrações turísticas da região são as ilhas com aquele visual caribenho de mar verde e areia branca. Há várias opções desde as mais baratas até mais caras, mas discretas as mais populares.

A mais popular e conhecida talvez seja a Playa Blanca que fica na Ilha Baru, uma praia pública de água cristalina e areia branca, com restaurantes e onde você pode passar um dia tranquilo. 




Para contratar um passeio para lá, pode usar os serviços do hotel ou ir pessoalmente ao Muelle Turístico de la Bodeguita um pier de onde saem as embarcações para as ilhas, fica perto da Torre do Relógio, fácil de encontrar.












Os passeios duram o dia todo e de um modo geral incluem traslados, embarcação até o local (esses barcos podem ser lanchas ou barcos mais lentos, verifique antes de comprar, para não perder tempo) e almoço. 







Além disso, ao chegar ao local, você pode escolher uma dessas atrações:


- visitar o oceanário, que fica numa ilha a parte, com vários tanques com animais marinhos, raias, tubarões... (maiores informações: http://www.islasdelrosario.info/oceanario.php?ctg=islas)

- mergulho com snorquel

- ou apenas ficar “lagarteando” sob o sol do caribe (adivinha o que escolhemos!!!).



Nós fomos para a Isla del Encanto que fica numa ilha particular que tem um hotel e recebe poucos barcos com turistas para passar o dia, com traslados e almoço incluídos. 
















Escolhemos ficar literalmente “de boas”, numa espreguiçadeira debaixo de árvores, há poucos passos do mar, só no sossego.

Não é um lugar maravilhoso?


O almoço estilo buffet, teve opções de carnes, arroz branco e de coco, salada, legumes e bebidas, tudo bem saboroso. A sobremesa é cobrada a parte.

Bem nem preciso dizer que valeu muito a pena, um dia todo sob o sol, com o mar quentinho bem pertinho, só descansando.


Uma dica importante para visitar essas praias, qualquer uma delas, é não andar descalço, inclusive enquanto estiver na água. Tente sempre usar uma sandália tipo papete, aquelas que ficam presas no pé porque tem muitos restos de corais e principalmente ouriços do mar por lá. Se você pisar num deles, você vai sofrer bastante por causa dos espinhos e pode atrapalhar todo o restante de sua viagem.


Estes são os restos de corais, podem machucar os pés...


sexta-feira, 19 de maio de 2017

Cartagena além das muralhas... Castelo, uns Sapatos Velhos e um convento pra terminar


Sapatos Velhos com um castelo por detrás...
Cartagena além das muralhas... Castelo de San Felipe, uns Sapatos Velhos e um convento pra terminar

Além das ilhas, há diversas atrações turísticas fora da muralha.

Los Zapatos Viejos



Este monumento localiza-se próximo ao Castelo de San Felipe e recebe muitos visitantes para fotos. Foi construído como homenagem a um dos principais poetas da cidade Luis Carlos López e um de seus poemas:

A mi Ciudad Nativa

Noble rincón de mis abuelos: nada
como evocar, cruzando callejuelas,
los tiempos de la cruz y la espada,
del ahumado candil y las pajuelas...

Pues ya pasó, ciudad amurallada,
tu edad de folletín... Las carabelas
se fueron para siempre de tu rada...
¡Ya no viene el aceite en botijuelas!



Fuiste heroica en los tiempos coloniales,
cuando tus hijos, águilas caudales,
no eran una caterva de vencejos.

Mas hoy, plena de rancio desaliño,
bien puedes inspirar ese cariño
que uno le tiene a sus zapatos viejos...




A praça onde fica o monumento é uma graça!
Castelo de San Felipe de Barajas

Localizado fora da cidade amuralhada, o Castelo de San Felipe de Barajas é um conjunto arquitetônico de incrível beleza e destaque na paisagem.  Sua construção que se iniciou em 1536 teve como objetivo a proteção da região, o que é possível ver pelos inúmeros canhões.



Nele é possível se perder por entre os túneis e passagens construídas em pedra. É meio claustrofóbico imaginar-se naqueles corredores estreitos, escuros e baixos, enquanto navios inimigos se aproximavam da costa: é uma verdadeira viagem na história do país.





Nossa primeira tentativa de visita foi no domingo, depois das 10 horas da manhã: impossível! A fila estava enorme e só havia um guichê para vender ingressos para toda aquela gente. Voltamos na segunda feira bem cedinho e “voilá!”, sem filas, sem excesso de visitantes, uma beleza.





A visita toda pode demorar algumas horas então previna-se levando água e chapéu.

Não faça o passeio com pressa, para um tempo para observar a muralha e as construções da cidade histórica ao longe, observar a movimentação dos bairros ao redor, curtir a brisa mais que bem vinda que sopra por lá.


Olhe só que vista!





No topo há uma lojinha para compra de artesanato.

Se você só tiver tempo para uma atração além das muralhas, considere esta opção, é um lugar que vale conhecer.





Convento de la Popa

A construção é linda, olha esse pátio!



Esse lugar foi uma boa surpresa pra gente, nem estava no roteiro, mas um taxista nos falou sobre ele e fez um bom preço para nos levar até lá e nos esperar por uma hora enquanto visitávamos o lugar.








Construído no século XVII em homenagem à Virgem da Candelária de la Popa, o convento é uma construção bonita, que além de tudo serve como mirante para observar a região e a cidade murada ao longe. O convento também foi usado como área militar, pela sua posição estratégica.







No interior visita-se uma exposição de objetos de época e militares; a arquitetura colonial do prédio é bonita e as vistas dos arredores também. 




Capela no interior  do convento